terça-feira, 9 de junho de 2015


É uma verdade universalmente conhecida que esse livro é um daqueles cujos quais eu sou suspeita para falar, mas mesmo assim - ou provavelmente por isso mesmo - aqui estamos nós o/. Sim, chegou a hora de falarmos do queridinho das garotas nos últimos duzentos anos - não, não é o Mr. Darcy apenas (Aaaaah o Mr. Darcy (͡ ° ͜ʖ ͡ °) ) -, mas Orgulho e Preconceito. A verdade é que no fundo eu também sou uma romântica irreparável, além de grande apreciadora de um bom senso de humor - adepta assumida do bom e velho sarcasmo -, o que claramente explica minha paixão por esse livro.




Jane Austen escrevia do ponto de vista de uma mulher, utilizando-se da ironia para criticar práticas sociais da época, como casamento e dinheiro – e a frequente relação entre um e outro. Então esse livro vai muito além da linda história de amor que muitas pessoas conhecem através do filme com a Keira Knightley e o Matthew Macfadyen – que em minha opinião é uma adaptação incrível, tanto quanto a famosa série da BBC com o Colin Firth. É além de tudo um livro divertido que me arrancou muito mais gargalhadas do que suspiros com seus diálogos afiados e muita reflexão sobre as falhas do caráter humano.


Os personagens muito bem construídos são extremamente cativantes. É impossível não se afeiçoar por Jane Bennet e Mr. Bingley, ambos com sua natureza calma e corações bondosos, ao mesmo tempo que algumas de suas irmãs merecem não mais do que pena e, mais frequentemente do que me agrada admitir, desprezo e irritação Lídia maldita. Mr. e Mrs. Bennet são sempre motivo de diversão e Mr. Collins, então, uma piada completa.


Mas é a complexidade do orgulhoso Mr. Darcy, dono de um enorme coração e generosidade dificilmente enxergados além de um charme sem igual, um dos motivos que o tornam um personagem tão adorado ao longo dos últimos séculos e um dos meus favoritos. Ser erroneamente interpretado por sério e arrogante quando se é, na realidade, tímido e pouco habilidoso socialmente com pessoas com as quais não tem intimidade... eu posso entender bem isso, bem até demais, infelizmente. Fora isso...












Como não se apaixonar? ;P


OMG Recomponha-se Jack


Mas Lizzie Bennet é um show à parte. A heroína forte, inteligente, divertida, leal e cativante é responsável por diálogos sagazes e comentários bem humorados, que muitas vezes nos escondem inclusive sua real opinião. Além da leitura e caminhada, a observação é seu hobby predileto e uma habilidade da qual orgulha-se profundamente e considera-se particularmente talentosa em ler o caráter das pessoas. Para alguém que orgulha-se tanto de sua capacidade intelectual é absolutamente custoso perceber e admitir que não está sempre certa e abraçar o constrangimento resultante de seus atos preconceituosos é um remédio um tanto amargo. Novamente, alguma empatia aqui ladies? Certamente.

  Linda edição da Thalita até o dia em que eu roubá-la

 Parte da coleção da minha amiga Nadja "Maior Fã Ever" Brito

Minha edição predileta, presente da ¨Maior Fã Ever"



Apesar de alguns raros loucos insensíveis considerarem a obra superestimada, acredito firmemente que um livro não permanece de maneira tão evidente e por tanto tempo entre os maiores da literatura inglesa, incitando inúmeros debates dos mais variados níveis, sem ter seus méritos – e sendo bem parcial aqui, são muitos. E particularmente, apesar de não ser considerado tecnicamente romântico, Orgulho e Preconceito é tranquilamente um dos meus romances prediletos.

Não posso fixar a hora ou o local. Isto já foi há muito tempo. Eu já estava no meio e ainda não sabia que tinha começado. - Elizabeth Bennet







0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Busca

Tecnologia do Blogger.

Sobre Nós

No Blog

Sorteio

Arquivo

Seguidores

Facebook

Instagram

Twitter

Editora Parceira

Parceiros

Postagens Populares

Visitas

As opiniões aqui presentes são próprias das autoras do blog, não representando necessariamente a opinião das editoras e/ou autores.