segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Dia 10 de dezembro foi o Dia do Palhaço! Estávamos empolgadas com a CCXP na semana passada e colocamos a resenha de Os Molambolengos no lugar de A Coisa, o livro perfeito para comemorar essa data! Então segue agora a resenha do livro com o palhaço mais apavorante da literatura.



Em A Coisa acompanhamos sete crianças/adultos: Bill, Ben, Bevery, Stan, Michael, Richie e Edie. Tudo começa quando George, após sair para brincar na chuva, é atacado violentamente por Pennywise (ou Parcimonioso dependendo da edição do livro) e morre. E começa também quando, um a um, os sete, já adultos, são chamados para retornar a Derry a fim de cumprir uma promessa.



Pennywise aparece para cada criança de uma forma. Sua forma básica é um palhaço de roupa prateada com pom pons laranjas, mas a criatura é mutável. Se transforma naquilo que cada um mais teme, tendo sempre como característica os pom pons laranjas em alguma parte de seu corpo. Enquanto as crianças descobrem sobre o monstro e tecem formas de enfrenta-lo, os adultos relembram seus medos antigos e temem encarar Pennywise novamente.



A Coisa é um livro de certa forma não linear. King intercala a história entre o antigamente, quando as crianças enfrentaram a Coisa, e o agora, quando já adultos precisam enfrentar o monstro novamente e vence-lo de uma vez por todas. Em certa altura, a escrita se intercala de tal forma que um final de paragrafo dos adultos se entrelaça com a das crianças e é FANTÁSTICO de tão lindo que fica!


Para mim A Coisa é um dos melhores livros do Stephen King. Eu gosto da sua escrita densa e cheia de detalhes. Descrições que vão além dos personagens e nos fazem ver o livro como um universo particular. Por exemplo, quando conta sobre o incêndio no bar. King não se limita a apenas dizer que o bar pegou fogo. Ele nos conta toda a história do bar. Em alguns autores isso soaria enfadonho, mas não com King. É denso em detalhes mas também é fluido na escrita.  É um livro que te instiga a prosseguir lendo. A história das crianças, cada uma com sua característica, é uma delicia de ler.


Mas, claro, os gostos são diferentes. Quem prefere uma escrita mais direta deve ter paciência com as mais de 1100 páginas de A Coisa. Seu tamanho e peso o transformam em um livro complicado para carregar por ai. A capa do livro é linda, o que me fez inclusive vender minha edição da Planeta Dragostini para comprar essa. Mas a revisão gramatical poderia ser melhor. Em determinada parte do livro existem inúmeros erros. Quanto a tradução, percebi e reclamo apenas da parte em que as crianças estão jogando Bando Imobiliário e Stan coloca duas casas na Av. Paulista. Nada grave, mas soa estranho. Enfim, A Coisa é um livro perfeito para quem gosta de uma boa história de amizade e de terror e indispensável para quem é fã de Stephen King.

Ele desceu colina abaixo em Silver. Ele correu para vencer o diabo.

24 comentários:

  1. Tem certeza que Pennywise não é bicho papão de Harry Potter? HAHA, brincadeiras a parte, sempre fui muito curiosa pra ler A Coisa, pois sempre ouvi falar muito bem e ao contrário de muitos nunca assisti ao filme, mas não posso mentir dizendo que a largura dele não me intimida. Ainda assim, vou dar uma chance!
    Estante de uma Fangirl

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Daniele!
      Eu ainda não vi o filme. É curioso, adoro livros de terror mas tenho medo dos filmes rs Quando puder leia sim, ele é enorme mas a leitura vai indo e indo e quando vc vê acabou :)
      Bjs

      Excluir
  2. Olá, Thalita. Ainda não li A coisa, mas já li outros livros do King e realmente percebi que ele gosta de uma descrição pormenorizada, embora eu não goste de narrativas muito descritivas, eu acho que o King faz isso com maestria e não torna a leitura "enfadonha" como você mesma pontou.
    Sobre a revisão, fico triste em saber que não houve um cuidado maior, a Suma é uma editora que está ganhando destaque, deveria atentar a essa questão.
    E sobre a tradução, eu acho um saco quando eles tentam "abrasileirar" o texto, parece que isso subestima o leitor, como se não fôssemos entender de outro modo, não é?

    Beijos!

    leiturasegatices.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Hel!
      Somos duas. Eu também não gosto, mas King escreve de uma forma que a gente nem percebe... Eu também fiquei triste, não marquei as páginas, mas foram vários em sequencia. Por um momento bateu até um desespero pela edição que eu havia vendido. E concordo, por mim tudo ficava com os nomes originais. Soa ridiculo. Av. Paulista em Derry?
      Bjs

      Excluir
  3. Oi Thalita!
    Anota aí... meta para 2016: ler Stephen King.
    Não vou ler esse livro, desculpa, mas eu tenho medo de palhaços.
    É sério. Não gosto meeeeesmo, dá uma arrepio só de pensar.... mas aceito o desafio de ler o autor, pode ser? HAAHAHA
    E sim, sempre fugi de palhaços e nunca fui a um circo, HAHAHAHA.
    Beeeijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Alessandra!
      huahua claro! Vários livros do King não abordam o terror diretamente. O Novembro de 63 não é terror e é fantástico. Eu também não gosto de palhaços. Depois desse livro nunca olhei o Ronald Mc Donald da mesma maneira rs
      Bjs

      Excluir
  4. Oi Thalia!
    Existe "dia do palhaço"?! Essa é novidade..heheh
    Sou fã do SK, mas mesmo "It" sendo um dos livros mais famosos do autor e muitos leitores elegendo (como você) esse como um dos favoritos, nunca tive muita vontade de ler, e para encarar um livro desse tamanho, eu tenho que ter muita vontade de ler.
    Mesmo sendo fã do autor e gostando de histórias de amizade, não pretendo ler "It" tão cedo. Que bom que você gostou.
    Beijos,
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Mariana!
      Existe huahua quando comecei a reler o livro pesquisei se existia e descobri que sim. Existe dia de tudo!
      Ahhh que pena. Realmente ele é extenso, e por conta das descrições, por mais que primorosas, exige uma certa paciencia.
      Bjs

      Excluir
  5. Eu ia morrer e não sabia que palhaços têm um dia só pra eles.
    Confesso que morro de medo, mas eu morro de vontade de ler esse livro e ver o filme. Um dia, superarei meu medo e farei isso hahaha
    Beijos
    Balaio de Babados | Participe da promoção Natal do Babado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Luiza!
      Existe dia de tudo quanto é coisa rs só descobri quando comecei a reler o livro e resolvi pesquisar se a data existia, para fazer a postagem no dia.
      Bjs

      Excluir
  6. Oi Tha!
    Eu fico com medo só pelo que você conta na resenha cre?
    TENHO PAVOR DE PALHAÇO. Nunca na vida que eu leria um livro desses ou veria o filme. Ia dormir nunca mais. Mas tenho uma amiga que é louca para conhecer.

    Abraços
    David
    http://www.olimpicoliterario.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá David!
      Nossa! Que triste isso. Mas também não gosto de palhaços. Nunca mais vi o Ronald Mc Donald com os mesmos olhos depois desse livro rs
      Bjs

      Excluir
  7. Oi Thalita, tudo bem ?
    Vejo só gente falando bem do Stephen King.
    Mas o tipo de escrita dele, é um tipo de leitura que não tenho tão interesse assim de ler.
    Mas parece ser bom.

    BEijos
    @saymybook
    http://saymybook.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Denise!
      Ounnn Stephen King é demais <3 tente algum livro dele que não seja de terror, como o Novembro de 63. As vezes você gosta :)
      Bjs

      Excluir
  8. Heey!
    Eu não vou negar, King é o meu autor favorito, divide o primeiro lugar com a J.K. Rowling hahah
    Estou com It aqui para ler e pretendo começá-lo ainda esse ano.
    Eu gostei muuuuito de Sob a Redoma, o melhor do ano até agora, e acho difícil superar, mas vamos ver né ehsuehu
    Adorei a resenha!!
    Abraços ^^
    http://desbravando-o-infinito.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Guilherme!
      Compartilho da sua opinião! Adoro o Stephen King e ele junto da JK Rowling me tornaram a leitora que sou hoje <3
      Eu amei Sob a Redoma. Já leu o Novembro de 63? É incrivel!
      Bjs

      Excluir
  9. Esse livro e O CEMITÉRIO são os meus preferidos do autor! Delícia de ler e de assistir haha
    Amei sua resenha :)
    Stephen King é de longe meu escritor favorito no mundo.


    >> Vida Complicada <<

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Camila!
      Adoooooooooooro O Cemitério! Um dos livros dele que mais me deu medo!
      Bjs

      Excluir
  10. Olá, eu acho que nunca leria esse livro. Tenho curiosidade mas olha a grossura disso! Sem contar que eu morreria de medo, só pela sua resenha já fiquei meio assim. kkkk

    Ah, tem sorteio de livro no meu blog, vem participar!
    http://goo.gl/i03FzM

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rebeca!
      Ahhh tem algumas partes em que ele dá medo sim huahuahua mas a história é super legal!
      Obrigada, vou participar!
      Bjs

      Excluir
  11. Foi muito bom a Suma ter relançado esse livro, pois estavam cobrando até 300,00 nos sebos virtuais por edições em mau estado, de tão raro que ele era. Confesso que o acho desnecessariamente longo, acho que umas 800 páginas estaria bom, mas é uma obra sensacional, um dos melhores livros de Stephen King.

    http://porquelivronuncaenguica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ronaldo!
      Uau sério? Eu concordo contigo, também acho que ele poderia ser um pouco mais curto. Mas gosto muito do jeito como ele é :)
      Bjs

      Excluir
  12. Eu estou LOUCA por esse livro. Louca, louca, louca! Eu amo Stephen e já assisti o filme A Coisa, é um dos meus favoritos do gênero. Adorei a resenha!
    Beijo grande,
    Café, Vodka e Literatura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Júlia!
      O livro é muito bom! Eu agora quero muito ver o filme, nunca assisti.
      Bjs

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Busca

Tecnologia do Blogger.

Sobre Nós

No Blog

Arquivo

Seguidores

Facebook

Instagram

Twitter

Editora Parceira

Parceiros

Postagens Populares

Visitas

As opiniões aqui presentes são próprias das autoras do blog, não representando necessariamente a opinião das editoras e/ou autores.