As Mentiras de Locke Lamora - Scott Lynch




Fazia muito tempo que queria ler As Mentiras de Locke Lamora. Foi o meu primeiro livro de 2016 e coincidentemente ele possui mais de 400 páginas, portanto entra para o Desafio Literário 2016 :)


No início do livro conhecemos o jovem Locke Lamora, uma criança órfã cuja pequena estatura é compensada pelo cérebro capaz de desenvolver e aplicar golpes altamente desenvolvidos. Desenvolvidos DEMAIS, o que acaba por colocar Locke em uma situação bastante desconfortável e ser vendido ao Padre Correntes.



A partir de então a história é intercalada entre o jovem Locke e o Locke adulto. Enquanto o padre se mostra uma pessoa bastante solicita e treina Locke e os irmãos Calo e Galo (futuramente também Jean e Pulga) para se tornarem bons ladrões e se transformarem nos Nobres Vigaristas, acompanhamos os personagens já adultos tentando aplicar um golpe na família Salvara a fim de afanar metade da sua grande fortuna. Tudo isso em meio a um jogo de poder e corrupção em Camorr, uma espécie de Veneza fictícia. Até que surge o Rei Cinza, misteriosa figura que passa a tocar o terror na cidade e tenta virar a balança do poder a seu favor.



O mundo criado por Scott Lynch é bastante rico. Ele não poupa descrições de localidades, arquitetura e costumes de Camorr. Mas para mim o autor exagerou. São descrições por vezes extensas e de pouca serventia para a história em si. Não era necessário tanto para o leitor se localizar e perceber como a cidade é. O Rei Cinza, o grande vilão da história, poderia ter sido melhor aproveitado. Senti que o livro passou a tomar um rumo só a partir da página 250.




Curti muito os personagens. Aqui a riqueza de detalhes foi bem aproveitada. Eles são fáceis de imaginar e com personalidades bem definidas. Grande destaque para o Falcoeiro, um Mago-Servidor, feiticeiro que pode ser contratado por absurdas quantias de dinheiro. Suas atitudes e a história dos Magos é fantástica!



Como disse acima, a infância e vida adulta de Locke são contadas de forma intercaladas. A partir de certo ponto, em cada final de capitulo, o autor abre um interlúdio e relembra o passado. Ok. O problema é que algumas vezes esses interlúdios quebram o ritmo do texto. Mas ainda assim a escrita é ágil, os personagens são sarcásticos e os diálogos divertidos. O texto contém inúmeros palavrões, o que pode divertir pessoas como eu desagradar alguns. As letras são um pouco pequenas, mas as páginas amareladas conferem conforto a leitura.


Gostaria de ter curtido mais a história, mas as descrições realmente foram me cansando e desanimando. As Mentiras de Locke Lamora é seguido pelo Mares de Sangue e República dos Ladrões.

Semana que vem postarei a resenha obrigatória do Desafio Literário 2016: um livro de suspense.

10 comentários:

  1. Oi, Thalita!
    Achei a capa e o título interessante. A premissa da história também.
    Eu gosto de uma descrição detalhada, mas muuuuito detalhada deixa a leitura cansativa.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Luiza!
      Dependendo da narrativa também gosto, mas nesse não rolou :( Uma pena pois de resto curti.
      Bjs

      Excluir
  2. Acho que contar passado e presente de forma intercalada não ser uma boa escolha, imagino que seria melhor uns flashbacks aleatórios e que pena que o autor pesou a mão na descrição, pois poderia ser algo positivo na história!

    http://deiumjeito.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Dependendo do livro eu curto bastante esse vai e vem no tempo, mas aqui não funcionou. Quebrava o ritmo, e aliado as extensas descrições só serviu para cansar :(
      Bjs

      Excluir
  3. Eu gostei muito desse livro, assim como curti a continuação, mas concordo com o que você diz em relação ao interlúdio. O que posso garantir é que isso não acontece em "Mares de Sangue". Se tiver paciência pra questões náuticas, acho que vai curtir também. hehe Aliás, pretendo ler "República dos Ladrões" nas próximas semanas e espero gostar tanto quanto dos anteriores.

    Abraços,
    Ricardo - www.overshockblog.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ricardo!
      Provavelmente eu curtiria mais o Mares de Sangue pois adoro histórias com navios (e piratas!) mas não pretende lê-lo :( Obrigada pela dica!
      Bjs

      Excluir
  4. Oi Thalita!
    Imagino que as partes que te incomodaram provavelmente me incomodariam também, mas fiquei interessada na história, achei a premissa bem legal.

    Beijos,
    Epílogos e Finais

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Bianca!
      A história é sim, só as longas descrições que estragaram o livro para mim :(
      Bjs

      Excluir
  5. Adoro o Locke, me divirto muito com suas aventuras, mas concordo que o autor às vezes é desnecessariamente descritivo. Acho que detalhes são importantes para ambientar a história, mas não devem comprometer o ritmo.

    http://porquelivronuncaenguica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ronaldo!
      Também curti o Locke! Ele e seus amigos são bastante divertidos.
      Bjs

      Excluir

Tecnologia do Blogger.