segunda-feira, 25 de abril de 2016


Gigantes começa com cinco amigos comemorando o fim das aulas em seu baile de formatura: Fernando, Duda, Lipe, Camila e Zidane. Cada um com seus interesses e sonhos, seguem seus caminhos com a expectativa lá em cima. Mas não tarda para a vida mostrar sua verdadeira face.


As informações sobre cada um são dadas aos poucos e é interessante notar como suas expectativas são diferentes da realidade. Trocam de emprego, trocam de namorado, trocam de curso na faculdade… Agarram oportunidade, perder oportunidades, riem e choram. Como jovens que são.


Acredito que um dos motivos para eu não ter gostado tanto assim do livro é a minha definição de amigo. Para mim amigo é aquele que está junto. E só senti isso na relação entre Duda e Lipe. Os demais se tornaram meros conhecidos que se encontravam vez por outra aqui e acolá. É a realidade da vida, mas pela sinopse do livro esperava que os cinco tivessem um desenvolvimento maior
juntos, o que não ocorre. Outro motivo é que não me identifiquei com nenhum deles. Meu perfil é totalmente diferente. Não me vi em nenhum dos cinco e não acredito que uma amizade com qualquer um deles duraria muito tempo.


Os capítulos são curtos e, ainda que contem com a presença de algum dos amigos, desenvolvem um personagem por vez. A história segue desde a formatura do ensino médio até por volta de dez anos subsequentes. A leitura é ágil e fluida e repleta de referências musicais.


E foi só em uma das referências que o livro me tocou. Com um trecho de Por Enquanto me lembrei do último dia do ensino médio, quando tocamos a versão da Cássia Eller em sala e o professor de química se despediu de nós juntando as duas mãos em um coração. É uma das minhas lembranças mais nítidas daquele dia. Gigantes é um livro para ser lido na idade certa e por mais que eu não tenha gostado de todo ele caiu em minhas mãos na época certinha.



4 comentários:

  1. Oi, Thalita! Tudo bem?

    Eu gosto muito de livros que fazem referência a outras obras, seja essa obra em forma de livros, músicas, poesia, filmes.. Isso me chamou a atenção na sua resenha. Mas daí eu fiquei na dúvida, porque também gosto de ler sobre essas relações que se desenvolvem na nossa vida, na vida dos personagens, relações significativas e que nos mudam de alguma forma. Você achou que isso não rolou no livro ou foram os personagens de maneira geral que não agradaram?

    Bj

    http://revelandosentimentos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Krisna!
      Ele realmente tem muitas referencias. Até rolam mudanças significativas na vida dos personagens, mas para mim poderiam ter sido melhor desenvolvidas. Não consegui sentir simpatia ou me envolver com eles. Alguns são mais bacanas e outros não. Gostei mais da Duda e do Lipe.
      Bjs

      Excluir
  2. Foi bem legal você ter ressaltado a parte do "ser lido na idade certa" pode soar nostálgico, tedioso ou interessante, depende da pessoa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Vaneza!
      Sim sim. Acho que é um livro que faz mais sentido para quem tem por volta de 25 anos.
      Bjs

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Busca

Tecnologia do Blogger.

Sobre Nós

No Blog

Arquivo

Sorteio

Seguidores

Facebook

Instagram

Twitter

Editora Parceira

Parceiros

Postagens Populares

Visitas

As opiniões aqui presentes são próprias das autoras do blog, não representando necessariamente a opinião das editoras e/ou autores.