quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Sabe aquele livro com a premissa muito interessante e que você quer devorá-lo o mais rápido possível? Foi assim que me senti quando ganhei O Livro do Destino no Sarau da Meia-Noite, da DarkSide Books! O autor estava presente e até fez uma dedicatória. Bom, a premissa é muito interessante, mas tenho váriiooosss poréns!


Aos 17 anos Eric Dias não imaginava que sua vida fosse mudar tão drasticamente. Acostumado com a presença de seu avô Regis, o baque de sua morte foi grande. Agora quem iria animá-lo? Contar histórias? Tomar sorvete? Ouvir a velha vitrola, tomar o chá com biscoitos no fim da tarde? O jovem ficou desorientado com sua ausência, mais ainda quando após algum tempo teve que encarar o derradeiro testamento, que o fazia relembrar toda a dor da falta de seu avô. O simpático sr. Regis deixou mais surpresas do que Eric poderia imaginar.

Os poucos bens do saudoso velhinho foram partilhados: a casa para a filha - mãe de Eric, o carro velho para Ermes - o irmão, um envelope para o desconhecido tio Gastão e para Eric uma caixa de sapatos no fundo do guarda-roupas. Ao recebê-la viu que continha um velho livro marrom, que apesar da aparêcia desgastada as páginas eram incrivelmente brancas, novinhas, sem marcas do tempo e ele estava para descobrir que aquelas folhas guardavam muitos segredos.



Eric não entendeu as instruções que estavam no livro, mas após uma conversa com o esquistão Gastão que dizia que o menino estava em posse de um livro mágico e que tinha poder de controlar o destino das pessoas, o rapaz resolveu testá-lo, mas não houve sucesso… Até que após estranhos sonhos, Eric conheceu o misterioso Guardião do livro que explicou os poderes e história da relíquia.

O encadernado realmente tinha poderes sobrenaturais há muito esquecidos, Regis era o antigo portador e havia passado para o neto toda a responsabilidade do objeto ao jovem! O livro tinha o poder de alterar o destino de determinadas pessoas muiittaa responsabilidade, não?! Ao escrever o nome completo de alguém ou simplesmente visualizar mentalmente e escrever algumas características físicas da pessoas, os principais fatos da vida dela apareceriam nas páginas em branco. Quando nasceu, onde viveu, acidentes sofridos, nascimentos dos filhos, vida profissional, problemas de saúde, vida amorosa e como morreram. O livro apresentava o histórico inteiro de qualquer pessoa e o mais mágico era que o portador poderia alterar esse destino, com a condição de que a partir do momento que se interferia na vida de outrem, o escritor deveria zelar por ela até o fim. Tenso!


A veracidade do livro foi constatada após alguns testes, mas foi descoberto que algumas pessoas possuem o destino imutável, que nada  nem ninguém poderia alterar, ao descobrir um trágico desfecho de um conhecido, o rapaz se revoltou e tentou de todas as formas alertá-lo sobre os acontecimentos futuros, mas sem sucesso. Após isso, Eric ficou descontrolado, não entendia o motivo de ter um objeto tão precioso se não podia utilizá-lo para o bem, ele começou a ter crises de pânico, não saia de casa e, quando saía, achava que estava sendo perseguido - e estava, o jovem descobriu que uma estranha Organização sabia sobre os poderes do livro e há muito queria pôr as mãos nele, agora a sua vida e de seus familiares estavam em risco. E para piorar... caso o livro caísse em mãos erradas, a existência da humanidade estaria ameaçada e Eric faria de tudo para evitar.

Como eu disse anteriormente a premissa é muitooo boa! A princípio, eu fiquei super curiosa com a história, mas conforme as páginas passavam - até numa velocidade razoável, foi me dando uma certa agonia de “já vi isso antes e não tô vendo o crescimento da história”, não senti o clímax, nem o frio da barriga que tanto amo! Estaria no final “inesperado”? Ou como Eric iria se relacionar com o objeto deixado pelo avô? Ao virar as páginas me sentia lendo um Death Note com uma pequena alteraçãozinha aqui e acolá e no final veio forte a referência ao Inferno, de Dan Brown. Quem acompanha minhas resenhas sabe que super curto livros inspirados em outras obras, mas estava esperando algo totalmente diferente e novo!

O autor Raphael foi uma graça de tão simpático! Boa sorte nos próximos livros!
Os personagens são rasos, não me identifiquei com ninguém. Eric para um garoto de 17 anos é muito passivo e digo até egoísta e mimado… Possuía um objeto de grande poder, ficou “irritadinho” porque existiam regras que, infelizmente, o impedia de ajudar um conhecido, mas será que o rapaz não poderia ajudar outra pessoa ~desconhecida~, dentro das condições do livro e que também estivesse em uma situação delicada? Fica aqui o questionamento!

A relação tio Gastão x Eric poderia ser melhor explorada, o Guardião do Livro também, até o vilão foi desenvolvido de forma estranha. Achei a escrita um tanto frágil, um pouco prolixa e repetitiva, muitas informações foram passadas várias vezes, ao meu ver, sem necessidade. Por fim, reforço que a história tinha tudo para dar certo, a sinopse é ótima, porém o enrendo e a escrita não me cativaram, nem me fizeram refletir ou me aproximar das personagens. Algumas passagens ficaram jogadas e personagens esquecidos ou pouquíssimos explorados. Por tuuudooo isso, dou 2*... Uma pena. Nhááá odeio dar nota baixa #Chateada :(

12 comentários:

  1. Oi, Denise!
    Miga, eu também senti um cadinho de Death Note nessa história.
    A premissa é até legal, mas é uma pena que o autor não soube desenvolver.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe da promoção de aniversário do Balaio de Babados e Postando Trechos
    Participe da promoção 1 Ano de Estilhaçando Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luiza, a referência a Death Note é fortíssima!!
      Depois vi que no skoob marcaram como "similares", ele não soube desenvolver mesmo! Uma pena, tinha tudo pra dar certo!!

      Beijos e obrigada pela visita! <3

      Excluir
  2. olá tudo bem?

    confesso, no começo da resenha me empolguei, mas depois desanimei. Gosto de livros que passam uma reflexão, principalmente aqueles que enfatizam isso na sinopse. é frustante ir com a expectativa nas alturas e não encontrar o esperado. obrigada pela sinceridade beijos

    Taynara Mello | Indicar Livros
    www.indicarlivros.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiee Tay!

      Nossa, foi muito frustrante mesmo! Pior que fui ler as resenhas no skoob e a galera suppppeeerr falando bem, se vc quiser ler, depois a gente pode discutir sobre!! Vou adorar ver sua interpretação!! Pra mim não desceu nadinhaaa!

      Obrigada pela visita!

      Bjs :*

      Excluir
  3. Também fico chateadinha quando um livro tem tudo pra ser foda e acaba escorregando em alguns aspectos :( realmente a sinopse é interessante e eu daria uma chance mesmo assim. Vai que, né? HAHAH

    beijo
    beinghellz.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dê uma chance sim, Hellz! No skoob tem um montão de gnt falando bemmm!! Aí vc mostra sua perspectiva pra mim!! Vou adorar! <3

      Excluir
  4. Oi Denise!
    Não conhecia o livro.
    Realmente a premissa é muito boa. Uma pena que tenha soado como "já vi isso antes". Isso é péssimo. Se os personagens não fossem rasos, talvez desse para perdoar. Mas quando uma coisa se junta a outra, realmente fica muito difícil se envolver com a leitura.
    Beijos,
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Mari! Sim, é isso mesmo, a sensação de "já vi isso antes" permaneceu o livrooo inteirooo e não consegui deixar de lado! Mas valeu a experiência! =D
      Se não me engano o livro é novo, saiu esse ano pela Chiado Editora! =D

      Obrigada pela visita! Bjs <3

      Excluir
  5. Olá Denise,
    Olha a premissa do livro chama muito a atenção! Essa relação com o avô me lembrou "O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares" que acabei de ler a pouco tempo. Uma pena você não ter gostado... parabéns pela sinceridade! Beijos

    www.blogleituravirtual.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Gu, tudo bom?

      Como falei para a Tha "Foi uma cilada" hahahaha Pelo menos para mim! rsrs
      Nossa, li O Orfanato faz pouco tempo, mas tirando a relação avô x neto x segredo não tem muita proximidade, não!! ^^

      Uma penaaa mesmoooo! =/
      Obrigada pela visita!! Bjs :*

      Excluir
  6. Olá Denise.
    Acho que realmente tivemos sensações parecidas na leitura. No começa, dá aquela ansiedade, pois parece que vem algo grandioso, mas o autor não conseguiu tirar da história, tudo o que se esperava dela.
    Obrigado por aparecer no meu blog. Estarei acompanhando o seu.

    Dan Folter

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Dan,

      Sim, exatamente isso... Parece que ficou muito corrido, repetitivo e superficial!

      Eu que agradeço pela visita! ♥

      Obrigada! :3

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Busca

Tecnologia do Blogger.

Sobre Nós

Arquivo

Sorteio

Seguidores

Facebook

Instagram

Twitter

Editora Parceira

Parceiros

Postagens Populares

Visitas

As opiniões aqui presentes são próprias das autoras do blog, não representando necessariamente a opinião das editoras e/ou autores.