sexta-feira, 18 de novembro de 2016


Lumos!

Não sei vocês, mas Animais Fantásticos e Onde Habitam ou "Réri Poti e os Bichos", como foi carinhosamente apelidado pelos huehue brasileiros, para mim foi de longe a estreia mais aguardada do ano, num ano repleto de grandes momentos para os amantes de ficção. Foi assim que saí de casa na manhã de 16 de novembro, munida de minha varinha e vestindo as cores da minha casa (VAI CORVINAL!). Ansiando pelo momento de retornar ao meu universo ficcional favorito, parti para juntar-me a tantos outros Potterheads com o coração repleto de expectativa num dia que culminaria no início de uma nova aventura. E posso dizer sem exagero que cada momento de ansiedade foi recompensado.


Muito amor por esse lindos <3

É como voltar para casa depois de um longo tempo, há sim uma familiaridade e um conforto, uma sensação de pertencimento que aquece o coração. Mas ao mesmo tempo é muito claro que estamos diante de uma aventura completamente nova repleta de infinitas possibilidades a serem exploradas. É um misto de emoções que preenche aquele vazio deixado pela última estreia de Harry Potter.

Meu kit pra pré-estréia <3

A começar pela comunidade bruxa americana, é curiosíssimo ver como as diferenças culturais impactam o mundo bruxo, bem como as diferenças de época e buscar aqui ou ali referências de marcos na história bruxa internacional.

Lendo os livros, sempre tive certa fascinação com as criaturas mágicas e a forma detalhada como J.K. as descrevia. No filme, vê-las ganhando vida com efeitos lindos é um deslumbramento à parte. A fotografia, visual e figurino são realmente muito bonitos. A magia flui de forma muito natural e trás um sorriso fácil aos lábios.

O filme trás de forma muito marcante um dos motivos pelos quais J. K. Rowling é tida como a Rainha por seus fãs: Sua capacidade impressionante em criar personagens excepcionais. Enquanto que em Harry Potter tivemos uma vida para desenvolver nossa relação com os personagens, página a página, em Animais Fantásticos J.K. consegue a proeza de nos apresentar a um grupo muito distinto de protagonistas pelos quais é impossível não se apaixonar completamente como se um feitiço nos pegasse de surpresa. São personagens com os quais se importar, com quem rir e com quem chorar e que te carregam para dentro da história como que realmente num passe de mágica. Um elenco muito bem escolhido para personagens bem pensados são apostas certas para cativar o telespectador. Jacob é meu novo predileto, ele me representa e representa  a todos nós que nos deixamos encantar com esse universo mágico. #SomosTodosJacob

Corvina que sou, ainda assim sempre tive enorme admiração pela Lufa-Lufa que é minha segunda casa predileta. Assim, não poderia pedir por um protagonista mais adequado. Newt Scamander é o que há de melhor em todo lufano, um amigo leal como nenhum outro, com um coração maior que ele e uma disposição incansável para lutar não pela glória, mas por aquilo que tão veementemente acredita ser o correto. Eddie Redmayne dá vida ao atrapalhado e talentosíssimo bruxo com tamanho charme, num misto de alegria e ingenuidade que cai melhor que um robe da Madame Malkins.

Newt e eu, ainda na aula, contando os minutos para nossa aventura *-*

Animais Fantásticos e Onde Habitam é o tipo de filme que não deixa seu tom sombrio bastante presente obscurecer a história completamente, nem seu alívio cômico que não é escasso roubar a cena em detrimento da seriedade. Esse é um filme com o qual rir, chorar e ir do extremamente tenso ao grandemente encantado num piscar de olhos. É, de fato, para sair do cinema feliz e o mesmo sorriso que você carrega no rosto pela maior parte da sessão vai te acompanhar por um bom tempo. O meu ainda não me deixou.

Como fã, eu não poderia pedir nada além. Posso apenas dizer com um suspiro de alegria: Como é bom estar de volta...

Nox!


2 comentários:

  1. Go Gryffindor!!!

    Agora que já fui chato (e um pouco clichê, para a maioria), não posso nega: é bom demais voltar a esse universo imenso... Outra época, novos rostos, referência e mais referências...
    Vimos uma ligação ótima com tudo que acompanhamos em anos de Harry Potter, mas sem se apegarem exclusivamente a isso. A história é independente, tem vida própria...
    Imagino que teremos outros rostos que tanto conhecemos, em suas versões mais jovens... Com aventuras próprias, e não citadas antes (Minerva McGonagall, por favor, apareça... E seja rebelde, como o trio que você tanto puxou a orelha).

    Enfim... Vamos continuar nos apaixonando... E esperando a coruja, que está anos atrasada...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rodrigo, adoro essa rivalidade de casas. Brinco muito com meus amigos. rsrs
      Você certamente captou a emoção que é voltar a esse universo. Potterheads se abraçam em agradecimento e expectativa. O difícil é aguardar até o ano que vem pela continuação ><
      Abs

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Busca

Tecnologia do Blogger.

Sobre Nós

No Blog

Arquivo

Sorteio

Seguidores

Facebook

Instagram

Twitter

Editora Parceira

Parceiros

Postagens Populares

Visitas

As opiniões aqui presentes são próprias das autoras do blog, não representando necessariamente a opinião das editoras e/ou autores.