Life is Strange


Max é uma jovem estudante de fotografia. Após presenciar um assassinato no banheiro da sua instituição de ensino descobre que é capaz de voltar no tempo. Resolve usar o seu dom para salvar a moça, que logo descobre ser Chloe, sua antiga colega de infância. Após colocar a conversa em dia, as amigas se unem para descobrir o paradeiro de Rachel, estudante desaparecida e também amiga de Chloe.



O jogo é dividido em cinco capítulos e nessa jornada vamos descobrindo mais e mais sobre a antiga amizade de Max e Chloe enquanto ambas procuram Rachel. Nesse meio tempo, Max tem a visão de um tornado destruindo Arcadia Bay e não sabe muito bem o que fazer com essa informação. Confesso que Chloe me irritou diversas vezes, mas não é necessário muito para entender suas motivações de jovem rebelde. Max já é o oposto, um tipo mais na dela que tenta não arrumar confusão. 



Life is Strange é um jogo de causa e efeito. Durante os diálogos temos que fazer escolhas e elas se justificam mais a frente do jogo. Podemos retornar no tempo em algumas e fazer uma nova escolha, mas em outros momentos não. Portanto pode-se ter mais de um desfecho. Ao final de cada capítulo aparece na tela a porcentagem de quantas pessoas tomaram determinada decisão. 



E no decorrer do jogo comecei a me sentir como se fosse responsável por aqueles personagens. Algumas decisões são bastante tensas e envolvem temas polêmicos já que a trama lida com drogas, assédio sexual, suicídio e bullying. Mais de uma vez me peguei olhando para a tela, segurando o controle e pensando “E agora?” Diversas vezes quis retornar momentos só para tentar fazer com que determinada ação fosse alterada e ver o que aconteceria. Terminei querendo recomeçar, com novas decisões, curiosa para saber como seria um segundo final. Nunca havia jogado algo assim e adorei! 

O jogo conta com uma ótima trilha sonora original. Apesar da fotografia bastante bonita, a parte gráfica deixa a desejar sobretudo quando a câmera foca no rosto dos personagens. Não fosse a primorosa entonação de voz da dublagem seria difícil saber o que os personagens estão sentindo apenas pela expressão em suas faces. Nos dois últimos capítulos algumas sequências vieram sem legenda, dificultando o entendimento dos diálogos. 



Não espere muita agitação. Os diálogos muitas vezes são longos, deixando o jogo bem parado, mas sem tirar o seu brilho, pois o enredo envolve e atiça a curiosidade. A história é tão cativante e bem desenvolvida que irá virar série de TV. Life is Strange está disponível para Windows, Playstation 3, Playstation 4, Xbox 360 e Xbox One. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.