quarta-feira, 15 de março de 2017

Demorei muito tempo para ler o Raphael Montes, conheci o autor graças à Renata Ventura e após algumas indicações e a curiosidade me corroendo por dentro foi que me rendi ao Suicidas, suspense policial de estreia - e que estreia!, do autor. E já vou logo adiantando: Foi uma das melhores leituras dos últimos tempos!



O livro narra a história de nove jovens universitários da elite carioca, um porão, uma Magnum 608 e um jogo mortal: a Roleta Russa. Naquela madrugada os jovens acabam mortos, a cena do crime está ainda mais assustadora e um ano após o ocorrido a polícia ainda não tinha decifrado o que havia acontecido. A delegada do caso decide reunir as sete mães dos envolvidos e apresentar uma prova não revelada, tentar solucionar o caso e dar um fim aquele caso macabro, será que rever e saber os detalhes daquele dia farão as mães entenderem o porquê de seus filhos terem optado pelo suicídio? Entre as anotações de um dos suicidas realizadas no dia ~e durante~ a roleta russa e o diário do mesmo rapaz, vamos conhecendo a verdade por trás daquele fatídico dia.


Alessandro é o narrador de grande parte da história, através de um diário encontrado em seu quarto e as anotações feitas exclusivamente para o dia da roleta russa vamos conhecendo aqueles jovens e descobrindo as motivações que o levaram até aquele jogo brutal. Alê é um futuro advogado, de classe média-alta, tem amigos, sonhos e aspirações, mas quando os pais de seu melhor amigo, Zak, morrem em um acidente suspeito, vê sua vida virar de cabeça para baixo, ele descobre o motivo de ainda estar vivo e é para aquele momento: participar do jogo em que todos os participantes morreriam e ser o primeiro escritor a relatar tudo aquilo em tempo real.

Que livro espetacular! Raphael Montes me surpreendeu muito!! Adiei a leitura de Suicidas e levei um soco na boca do estômago ao concluí-lo. O livro é brutal, sanguinário e cheio de estereótipos, como em grande parte é narrado em primeira pessoa nos aproximamos de todos os preconceitos, ideias e experiências do Alê e, naquele contexto, é tudo absurdamente plausível! E por mais triste, bizarro e sádico que seja, de alguma forma, você se identifica com as palavras do narrador.


Com uma narrativa não-linear, visitamos a história com capítulos intercalados em três momentos: as anotações “em tempo real” do dia da roleta russa, o diário convencional do Alessandro e a transcrição da reunião da delegada com as mães. Os relatos do cotidiano do personagem servem para contextualizar os acontecimentos subsequentes e conhecermos mais sobre a personalidade de cada personagem. A reunião das mães é uma outra perspectiva e chega a ser angustiante, são mulheres desgastadas e cansadas de manter a aparência ante a tragédia que ocorreu com suas famílias, é bem dramático. Uma ou outra parte se torna cansativa e até repetitiva, mas isso não me desmotivou a ler, pelo contrário, mesmo nas partes mais extensas e talvez ~desnecessárias~ fiquei firme, forte e presa a leitura para saber quem seria o próximo suicida. 

O livro tem um apelo dramático muito forte, mas mostra a natureza humana em diversas facetas, seus vários estereótipos e preconceitos. E acredito que tenha sido essa a intenção do Raphael. E gente, o final ~finaaaaallll~ é surpreendente! O desfecho do caso pode não agradar a todos, mas o último parágrafo merece todas as honras!! Recomendadíssimo! 

Nota: 4,5/5★♥

"É impressionante a atração humana pela desgraça alheia." ~ Alessandro Parentoni p. 21


4 comentários:

  1. Oi, Denise!
    Dizem que esse livro é o melhor dele e eu ainda não conferi. Me perdoa porque logo vou mudar essa situação hahahhaha
    Oi, Priih!
    Eu ainda não assistir esse filme porque eu não gosto do Wolverine. Eu perco muitas amizades ao afirmar isso, mas nunca suportei o personagem.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Sorteio Literário de Carnaval
    Sorteio Três Anos de Historiar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie, Lu!

      Eu tbm li muitas resenhas positivas de Jantar Secreto e Dias Perfeitos! Estou bem curiosa com "Dias Perfeitos" pq ele é mencionado em Suicidas... Então acho que o Raphael já tinha um ideia de suas próximas publicações. Leia sim e me chama pra conversar depois! :D

      Bjs :*

      Excluir
  2. Olá Denise,

    Eu li apenas "Jantar Secreto" do autor. E pela sua resenha atesto que o autor é brilhante. A forma com que ele impacta o leitor é impressionante. Com certeza leremos muito coisa fantástica ainda do autor. Com certeza um dos meus nacionais favoritos! Beijos...

    www.blogleituravirtual.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Gus!
      Vi sua resenha de "Jantar Secreto" e fiquei morta de vontade de ler! Sim, senti isso na sua resenha também, agora estou mais curiosa para saber como ele evoluiu essa escrita tão intrigante!
      E com certeza, tbm acredito que vamos ler muita coisa boa dele!! Ele tbm entrou pros meus favoritos!

      Vamos trocando figurinhas!! ;)
      Obrigada pela visita!!

      Bjs :*

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Busca

Tecnologia do Blogger.

Sobre Nós

No Blog

Arquivo

Seguidores

Facebook

Instagram

Twitter

Editora Parceira

Parceiros

Postagens Populares

Visitas

As opiniões aqui presentes são próprias das autoras do blog, não representando necessariamente a opinião das editoras e/ou autores.