quarta-feira, 5 de abril de 2017

Chá de Sumiço é o livro que faltava sobre as irmãs Walsh. Agora é a vez da Helen, a mais espevitada da família, ganhar sua obra. A Irlanda vive uma má fase e sua vida como detetive particular vai de mal a pior. Helen perdeu o apartamento e é obrigada a voltar para a casa dos pais. A coisa melhora um pouquinho quando, precisando desesperadamente de dinheiro, aceita trabalhar para Jay Parker, seu ex-namorado. Jay está agenciando um show do retorno da boy band Laddz e tudo estaria perfeito caso um dos membros não tivesse desaparecido. Helen tem menos de uma semana para encontrar o rapaz e garantir que o show seja um sucesso. Mas a busca por Wayne Diffney se mostra mais difícil do que parece e a coisa só complica quando o pior inimigo de Helen dá as caras: a depressão.



De certa forma eu fiquei chocada com essa nova Helen. Ela sempre foi a irmã Walsh que menos simpatizei, mas ainda assim eu jamais esperei que a personagem seria acometida pela depressão. Gostei de ver um problema tão sério sendo abordado no livro. Se por um lado a autora descaracterizou um pouco a personagem, por outro ela mostrou como a depressão pode acometer qualquer um sem aviso.


Mas esse livro me deixou triste por um outro motivo. Fazia bastante tempo que não lia nada da autora (vou desconsiderar o Mamãe Walsh pois para mim aquilo é um desperdício de papel) e descobri que não tenho mais paciência para suas obras. As inúmeras referências a marcas de grife e a mania das personagens de enaltecer bolsas e sapatos não são para mim. O que antes eu considerava engraçadinho e divertido agora me soou chato e enfadonho. Respeito quem gosta, mas meu gosto literário mudou desde a primeira vez que li Melancia e acho que infelizmente a autora não se encaixa mais nele.


O livro poderia ter tranquilamente umas 200 páginas a menos. Ainda que a leitura seja fluida, Helen as vezes alonga demais o assunto. É o que ocorre por exemplo com a pintura interna da casa de Wayne cujas cores foram exaustivamente explicadas e detalhadas. Menos né? Detalhes que se retirados deixariam o livro bem mais dinâmico.


Mas ainda assim o livro tem seus momentos divertidos e o mistério por trás do desaparecimento de Wayne prende e instiga a continuar. Helen nos conta aos poucos sobre seu caso de depressão e também me deixou curiosa para saber como ela sairia dessa. A diagramação segue a linha dos demais livros da autora, deixando todos lindos e coloridos na prateleira <3 Não é um dos melhores, mas também não é dos piores. Não sei se vou continuar lendo a autora, mas ainda que com alguns altos e baixos, foi bom enquanto durou.

Nota 3,5/5 ★

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Busca

Tecnologia do Blogger.

Sobre Nós

No Blog

Sorteio

Arquivo

Seguidores

Facebook

Instagram

Twitter

Editora Parceira

Parceiros

Postagens Populares

Visitas

As opiniões aqui presentes são próprias das autoras do blog, não representando necessariamente a opinião das editoras e/ou autores.