segunda-feira, 15 de maio de 2017

Muitos leitores tem o desejo de um dia estar do outro lado, ser o criador das leituras, um escritor. Eu tenho essa vontade, nem que seja para escrever apenas para mim. Deve ser extremamente gratificante terminar uma história, folhear páginas e páginas de coisas que estavam apenas na sua cabeça, receber um livro com seu nome na capa e pega-lo no colo, aquela criaturinha tão linda cheirando a novo e feita de fibras de celulose.

Então resolvi contar um pouquinho sobre a minha experiência em tentar escrever um livro. Sim, eu tento já a alguns anos. Não com muito afinco, admito. Sempre fui uma pessoa criativa e às vezes a ideia brota sozinha. Em outras, vem a partir de alguma música, filme ou um simples acontecimento. Ao ouvir a música Lemon do U2, sempre me vem a cabeça uma personagem dançando em seu vestido godê verde fluorescente e enfeitiçando a todos com sua graça e beleza. Alguns dias depois de terminar 13 Reasons Why, comecei a pensar em uma história onde uma noiva se suicida, deixando seu noivo incrédulo totalmente confuso e com a missão de descobrir o porquê.


Muitas vezes a ideia vem fraca, apenas breves fragmentos como nos exemplos acima, e fico perdida em como possivelmente desenvolvê-la. Em ocasiões mais raras vem com força, quase completa, e se desenvolve na cabeça de tal forma que tenho dificuldade em pensar em alguma outra coisa. Fica ali, martelando meu cérebro, desviando a atenção de tudo. Quando isso ocorre tenho duas opções. Deixar passar, o que as vezes leva uns poucos dias, ou sentar o mais rápido possível em frente ao computador e escrever. Escrever, escrever e escrever até esvaziar o cérebro.

Nisso, já consegui três histórias. O básico está escrito, duas com roteiro completo. Meu problema é desenvolver o resto, preencher as lacunas do roteiro, criar as situações e diálogos necessários para uma história. Depois do frenesi inicial, desenvolver a história é difícil. Tudo flui belo e simples na minha cabeça, mas extrair tudo e colocar no papel? Escrever os pormenores das situações, criar diálogos plausíveis? Como é difícil! Então deixo as histórias aqui, incompletas, faltando apenas persistência e força de vontade para enfim terminar qualquer uma delas.

Se um dia serão publicadas? Não sei. São boas? Também não sei. Mas são minhas e pelo menos pretendo terminá-las. Nesse meio tempo li dois livros que me ajudaram. Um é o Palavra por Palavra da Anne Lamott e o outro é o Sobre a Escrita do Stephen King.

E você? Já começou um livro ou tem algum publicado? Conte para nós :)

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Busca

Tecnologia do Blogger.

Sobre Nós

No Blog

Arquivo

Seguidores

Facebook

Instagram

Twitter

Editora Parceira

Parceiros

Postagens Populares

Visitas

As opiniões aqui presentes são próprias das autoras do blog, não representando necessariamente a opinião das editoras e/ou autores.