O Visconde Que Me Amava - Julia Quinn (Os Bridgertons #2)

No segundo livro da série Os Bridgertons, Anthony, o primogênito da família, decide que está na hora de abandonar os hábitos libertinos e finalmente se casar. Só que Anthony tem um certo trauma. Seu pai morreu subitamente aos 38 anos após ser picado por uma abelha e o visconde acredita que um destino semelhante está a sua espera, então não quer uma esposa pelo qual se apaixone perdidamente para deixá-la dali a poucos anos. Olhando para todas as moças da temporada, escolhe Edwina Sheffield como noiva perfeita pois apesar da sua beleza e graça ela não lhe desperta nenhum grande sentimento.


Mas Anthony não contava com a astúcia da meia irmã da moça, Kate, que acredita que o visconde nunca abandonará os hábitos libertinos e consequentemente não será um bom marido para a irmã. Sendo assim, provoca Anthony o quanto pode e tenta a todo custo mantê-lo longe de Edwina. Anthony não se importa com as provocações, mas aos poucos percebe que não é a irmã que ele almeja que lhe desperta certa emoção, enquanto Kate passa a perceber que o homem não é tão mau quanto parece.

Gostei menos desse segundo livro. Anthony é menos divertido aqui e não, ele não se tornou mais sério, só está mais chato e em vários momentos bem babaca. Tentei ser solidária com o seu trauma, mas não deu, e isso talvez seja por culpa da autora que repete várias vezes o quanto ele não quer se apaixonar pois vai morrer cedo. Só dá para elogiar sua dedicação a família, quando aos 18 anos precisou se tornar o responsável pelos Bridgertons.


Kate por outro lado se mostrou interessante e o relacionamento dela com a irmã e a madrasta é muito bonito e cheio de amor. Kate coloca a felicidade de Edwina acima da própria, foge do estereótipo da beleza clássica, tem a língua afiada e não se importa com grandes refinamentos, mas novamente a repetição estraga um pouco a personagem e o livro em si.

Talvez por ter lido esse segundo livro logo após o primeiro, onde Simon também é um libertino que não deseja se apaixonar, O Visconde Que Me Amava se tornou parecido com O Duque e Eu em alguns aspectos o que desanimou um pouco. O livro tem momentos bastante divertidos, principalmente um envolvendo um cão da raça Corgi em um parque, e se Julia Quinn merece um grande mérito é o de a sua escrita fluir que é uma maravilha. Mesmo tendo gostado menos de O Visconde Que Me Amava terminei a obra rapidinho e, confesso, com certa curiosidade para ler o próximo.

Nota: 3/5 ★
O Livro no Skoob: O Visconde Que Me Amava

Um comentário:

  1. Oi Thalita, não sei pq mas ver vc lendo romance me pareceu inesperado hehehehehe Eu já gosto mais do segundo do que do primeiro livro. Gosto de O duque e eu eu, mas o Visconde que me amava é meu preferido, me julgue hahahahaah Adoro o relacionamento do Anthony e Kate rsrs

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.