A Sociedade Literária e A Torta de Casca de Batata


Um título curioso e temática envolvendo literatura e Segunda Guerra Mundial foi o que bastou para chamar minha atenção para A Sociedade Literária e A Torta de Casca de Batata, novo filme original da Netflix. No longa conhecemos Juliet Ashton (Lily James), jovem escritora que vive na Londres pós guerra e que parece um pouco desmotivada. Eis que ela recebe uma carta de um homem chamado Dawsey Adams (Michiel Huisman), morador da ilha de Guernsey, que pede que ela lhe envie um livro de Shakespeare para uma sociedade literária criada na ilha durante a guerra e da qual ele faz parte.


Juliet envia a obra de presente, mas faz três perguntas sobre a sociedade para Dawsey, alegando que as respostas seriam o pagamento pelo livro. Quando as respostas chegam, Juliet fica completamente encantada ao perceber como a literatura uniu aquelas pessoas em um momento de crise, e em um impulso resolve visitar a ilha e conhecer a sociedade, já imaginando que seu próximo livro poderia ser sobre ela.


Uma vez na ilha, Juliet não demora a perceber que não é bem vinda por todos os membros da sociedade, que há um imenso desconforto quando ela diz que gostaria de escrever sobre eles e que uma das membras originais, a Elizabeth McKenna (Jessica Brown Findlay), não se encontra presente pois foi levada pelos nazistas durante a guerra. Ninguém quer conversar sobre Elizabeth, mas a curiosidade da Juliet fala mais alto e ela resolve tentar descobrir mais sobre a moça.

A Sociedade Literária e A Torta de Casca de Batata é um filme gostoso de assistir. Conforme o filme avança percebe-se que a história possui muito mais camadas que aparenta em um primeiro olhar e a narrativa prende do inicio ao fim. Os personagens possuem características bem definidas e são todos muito carismáticos. A paisagem da ilha é deslumbrante e enche os olhos graças a fotografia muito competente. 


Se teve algo que não gostei foi que parte do romance não me convenceu. O noivado de Juliet com Mark Reynolds (Glen Powell) é bem construído, mas um segundo romance que desabrocha poderia ter sido melhor desenvolvido para não cair em um velho clichê. Não tira o brilho do filme, mas deixou uma sensação de que poderia ser melhor.

O fãs de Downton Abbey poderão amenizar a saudade, pois além da Lily James é possível ver outros rostos familiares do elenco da série. Todos os atores do filme combinam bem com o seu papel, mas é Lily quem brilha graças a sua personagem vivaz e curiosa.  


A Sociedade Literária e A Torta de Casca de Batata se mostrou uma grata surpresa. Como ávida leitora, foi impossível não me identificar com aquelas pessoas e mais uma vez perceber o poder de união que a leitura pode proporcionar.

Confira o trailer e bom filme!

2 comentários:

  1. Oi meninas!!

    Fiquei curiosa quando vi a foto na minha lista de indicações no Netflix, mas ainda estava sem coragem para encarar. Amei a narrativa do filme, como ele parece envolvente ainda mais para quem curte literatura.

    Estou acabando uma maratona de Gilmore Girls, então logo voltarei aos filmes de vez!

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Amei o filme, a história... Tudo muito envolvente. Mas gostria de pedir uma ajuda, estou tentando encontrar o livro de Shakespeare que e citado e ilustrado no filme! Alguém pode me ajudar?

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.