Assassin's Creed Origins

Bayek de Siuá é um medjai, um protetor do povo do Egito, que está em busca de vingança. Nesse meio tempo, a região passa por graves mudanças enquanto gregos e romanos começam a se estabelecer no Egito e Cleópatra é expulsa do trono, mas pretende reconquista-lo. Quando dá por si, Bayek e sua esposa Aya estão envolvidos em uma imensa trama política que ultrapassa sua motivação inicial.


A história é bem desenvolvida e empolga do início ao fim. Bayek é muito simpático, um personagem pelo qual você se importa, sendo fácil se compadecer de sua dor e torcer para que ele alcance o seu objetivo. Apesar de tudo, nota-se o quanto ele é um cara do bem, sempre disposto a ajudar a população com a maior boa vontade. Aya é uma personagem feminina forte e focada, sendo possível jogar com ela por curtos períodos. Além de Cleópatra, outros personagens históricos dão as caras durante o jogo.

Os gráficos são extraordinários, indo desde os personagens humanos super realistas às paisagens incríveis de monumentos como o Farol de Alexandria e as Pirâmides de Gizé. O jogo possui um modo de fotografia que ajuda a apreciar a imensa riqueza de detalhes. Algumas fotos escolhidas aparecem no mapa e são identificadas por um pequeno retângulo que quando selecionado expande a imagem e você pode dar um coraçãozinho para as suas favoritas.


O mapa de Origins é imenso e trás muita coisa para ser feita além das missões secundárias como invadir fortificações, saquear tumbas, observar estrelas, eliminar covis de animais perigosos e derrubar estátuas. Falando nas missões secundárias, elas são bastante variadas e sua duração varia de missão para missão. Algumas são resolvidas rapidamente, enquanto outras aumentam de extensão conforme os personagens acrescentam pedidos ao Bayek. Apesar da variedade em suas narrativas, elas muitas vezes acabam caindo no lugar comum e se tornam repetitivas. 

Origins tem um grande foco no RPG. Além do mapa aberto, é necessário subir de nível para avançar na história, e isso implica também elevar o nível de seu equipamento e de suas habilidades que se encontram em uma imensa árvore e são divididas entre Caçador, Guerreiro e Vidente. Conforme inimigos são derrotados, Bayek recebe novas e mais poderosas armas que podem também ser evoluídas com um ferreiro. Preste atenção nas armas lendárias, além de raras algumas possuem elementos extras como uma espada flamejante que queima os adversários. Não posso deixar de citar Senu, a inseparável águia de Bayek que o ajuda a encontrar pessoas, caçar animais e atacar inimigos.


A parte da Abstergo nos jogos andava meio perdida, e aqui não é muito diferente. A imersão fica a cargo da Layla, uma funcionária da empresa que descobre Bayek e Aya e resolve usar uma Animus portátil para reviver suas memórias. Não achei essa parte divertida, mas pelo menos as cenas são curtas.

Durante os anos necessários para a finalização de Origins precisou-se de muita pesquisa sobre o Egito Antigo junto as mais diversas instituições, então a equipe resolveu compartilhar seu aprendizado e o resultado é um deleite para quem gosta de história. Eis que nasce o Discovery Tour, modo em que o personagem está sem qualquer arma e onde não há inimigos ou missões. A intenção é percorrer o jogo de forma contemplativa, admirando a reconstrução do passado sem deixar a interação de lado. Eu fiquei encantada. As explicações são claras e didáticas, e o bacana é que é possível escolher outro personagem importante do jogo para passear pelo Egito.


Com jogos do Assassin’s Creed sendo lançados anualmente, a Ubisoft acertou ao pular um ano e conceder um descanso a franquia. Origins entrega uma narrativa envolvente, um protagonista carismático e um visual de encher os olhos. Ainda que eu quisesse um maior aprofundamento em certo ponto da história, ou que ache algumas missões secundárias monótonas, é inegável o quando a franquia evoluiu. Dificilmente termino a história principal de um jogo e fico com vontade de continuar explorando, mas com Origins isso aconteceu, e pelo visto ainda tenho horas e horas de exploração no Egito Antigo.

Disponível para: Xbox One, Playstation 4 e PC


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.